25 de mar de 2011

Não foi coincidência encontrar contigo ♪



Eu nunca fui o tipo de garota séria, muito menos a mais animada.
Confesso que sempre gostei de estar envolvida numa bagunça, a bagunça organizada.
Gosto do diferenciado, nada normal me convém. Mas nada extrapolado me chama a atenção, simples e objetiva até que vai, mas engraçada e respeitável é bem mais elegante.
Não me julgo errada por chegar tarde, sendo que as horas voaram com boas e construtivas prosas, então, que voem mesmo.
Pertencia ao meu lar, ao meu berço familiar, um tanto quanto aos meus amigos também,... Baladas aqui, brincadeiras ali, jeito menina, um tanto quanto levada, minha adolescência fez-se valer.
Eu me pertencia.
Até que, como em todas as histórias, aparece o príncipe.
Me roubou dos braços de todos. Me tirou do berço e me guardou no seu mundo.
Corpo e alma me entreguei. Sumi para todos, me escondi com você.
Me colocou no seu berço. Nos pertencíamos.
Cantávamos e dançávamos todos os dias. Era a nossa bagunça, só nossa, só nós.
Nos cuidávamos. O presente já era perfeito, quanto mais o futuro aos nossos olhos.
Não sei quando, onde ou como, mas falimos sentimentalmente. Erroneamente nos individualizamos. Não era para acontecer com nós.
Tanto tempo e eu ainda tenho tantas palavras a lhe dizer e milhões de sentimentos a transbordar.
Hoje eu lhe escrevo mais uma carta, que talvez responda suas perguntas constantes...

‘’Eu sei, eu sei que sente, sentimos muito. Não deu, acabou. Um pena, concordo com você. Foi sim meu anjo, bom enquanto durou.
Não, eu não lhe esqueci, eu recomecei, mas não esqueci. É, não quero papo. Não quero mais. Eu sei, sei que se importa, sei que choras, sei que ainda diz meu nome na noite, sei que ainda sonha e relembra, sei que a saudade que sente transborda. Soube a partir do momento em que recomecei, você não gosta deste recomeço, não tão individual.
Você sabe que não, agora não dá. Chega dessa história mal contada, desse conto de fadas nebuloso.
Sim, eu sei o que eu significo. Eu sei o que eu não quis. Eu sei do que eu abri mão. E acredite, no começo eu me arrependi, pensei não estar preparada para tanta distância, tanta dor, foi minha decisão. E você não acatou. Quando acatou doeu, doeu muito mais, eu confesso. Mostrou sua felicidade, falsa felicidade. Lágrimas caíram como se eu apanhasse, apanhasse de mim mesma. Pararam de cair quando você continuou presente.
Eu fiquei feliz com a notícia de que você não aguentou viver com essa mentira, que já não dava mais, e que eu já estava agüentando demais. Me contive, firme na decisão, e nós sabemos por que.
Nossos olhares se encontraram por ai, tão distantes, mas se encontraram e causaram transtornos, transtornos aos nossos sentimentos, às nossas novas vidas. Confesso que fugi, corri do seu olhar. É eu confesso, que naquela noite eu mal dormi, assim como você também.
Me dói tanto lhe ser indiferente, queria tanto lhe dizer palavras bonitas, dividir novidades, lhe contar sobre meu novo emprego, minhas novas amizades e até sobre todos que tentaram ser como você: especiais. Queria tanto lhe demonstrar o quanto isso me fez amadurecer. O quanto a tua ausência me ensinou a andar sozinha.
Mas continuo aqui, firme, buscando forças para não me render. Então, sim, pode desistir. Não, eu não lhe quero mais, eu realmente recomecei, eu ainda não sei como,.. Voltei pro berço, pro meu lar. Sim, eu aguardo em Deus, eu acredito que sim, que ainda tenhamos algo por ai.

Com muito carinho,...’’

10 comentários:

  1. Eu clico em 'recomendar', 5 estrelas, emocionante e real e mesmo assim não me sinto satisfeita. Porque você escreve muito e eu sempre sinto todos os seus sentimentos em cada linha e isso me toca tanto e eu tenho tanta vontade te abraçar pra fazer tudo isso desaparecer.
    Não sei se todo mundo que le entende tanto quanto eu.. nem sei se toca tanto aos leitores como à mim, vai ver é minha sensibilidade de amiga que grita ao ler essas coisas. EU estarei aqui sempre, eu te amo e tenho orgulho de ver teu recomeço, que ele seja brilhante.

    ResponderExcluir
  2. Gurias, tempo que não vinha aqui. E que saudades, hein, de comentar mais seguido! O tempo anda correndo a meu desfavor. Enfim, que text9 lindo! Acho que consegui captar bem o feeling, os sentimentos. Quando a falta é recíproca, até indireta, nos acrescenta.
    Beijocas!

    ResponderExcluir
  3. NOOOOSSA, como você escreve bem!
    Cda palavra, expressão, vão convidando a nós, leitores, a gastarmos um tempinho a mais pra ler tudo que foi, carinhosamente escristo.
    Parabééns, sinto-me lisongeada por ter recebido elogios de uma ESCRITORA MAGNÍFICA ^^

    ResponderExcluir
  4. Fiquei feliz com o comentario no blog, fico feliz em saber que gostou *-*
    Parabéns, seu blog é lindo, adorei tudo aqui, adorei esse texto, principalmente a parte que diz ' queria contar sobre meu novo emprego, minhas novas amizades e até sobre tdos q tentaram ser como vc: especias...' Como eu gostaria de contas essas coisas a um certo alguém, mas me parece q ele ñ esta mto afim de saber...
    Bjos, estou lhe seguindo

    ResponderExcluir
  5. RADIO GOSPEL MUSIC LIFE

    http://crescerevencercomjesus.blogspot.com

    ResponderExcluir
  6. Nossa que postagem linda!
    Me senti nela tbm, parabéns vc se expressa mto bem ^^

    Show seu blog

    beijO=*

    http://tentandosimplesassim.blogspot.com

    ResponderExcluir
  7. Nossa, fiquei arrepiada. E confesso que esse meu jeito sonhador e passional de ser, tem vontade de te falar pra voltar atrás na decisão. Mas acredito que se decidiu, teve bons motivos pra isso.
    Senti um aperto no peito por aquele que foi deixado pra trás.

    PS: Eu só conhecia a escrita da Thamires e foi um prazer, mesmo com o aperto no peito, conhecer este lado decisivo e realista da Vanessa.

    Beijos da Flor

    ResponderExcluir
  8. que texto... quanta palavra linda... nós deixamos as coisas para trás, e um dia a vida traz uma supresa...
    cazuza... e sua musica linda.
    pena que morreu tragicamente.

    ResponderExcluir
  9. Que lindo o texto!
    Quando falamos o que sentimos, tudo fica mais bonito, e quando se manda bem na escrita, surge então uma combinação perfeita e isso rola aqui!
    E eu adoro ..
    Parabens meninas.
    Seguindo aqui ;*

    http://bruhworspite.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  10. eu adorei o texto e a música do cazuza também ;)

    ResponderExcluir

Quem nunca altera a sua opinião é como a água parada e começa a criar répteis no espírito.
( William Blake)


Movimente a sua, faça-nos refletir e reflita sobre o que leva como verdade absoluta.


Nasci em um domingo de primavera ás 21:00 do dia 29 de Setembro de 1991. 1 mês antes do previsto e regida pelo signo de libra.Apaixonada por livros, séries, músicas, flosofia e tecnologia. Espírita Kardecista. Blogueira por amor e futura webmaster por formação. Nasci na selva de pedra mas meu lar é onde os pés encontram o mar e o sol tocar a pele. ♥ (+)