28 de nov de 2010

Deixa assim, do jeito que tá. E o que tiver que ser será...

Sinto uma dor, carrego comigo tanta coisa.
Prestes a explodir me faço tantas perguntas...
Me responde uma coisa?
Por que eu não sinto ódio de você?
Por que toda esta raiva vai e vem? E mesmo quando você aparece eu ainda fico trêmula e até não querendo, o vento me empurra até você?
Por que todo o passado se faz mínimo quando nos abraçamos?
Por que eu fico só relembrando cada segundo que passamos juntos, e por que parece que ninguém é capaz de suprir toda esta falta?
Por que você me cobra tanto sem ao menos termos nada?
Por que me procura constantemente e me faz perder a força, dia após dia, como se estivesse esperando o momento certo...
Não me julgue, por favor, não é fácil rejeitar tuas ligações, não é fácil apagar as mensagens, sem ao menos lê-las, que mostra teu nome como rementente.
E me dói ignorar ou fingir não reparar em todo o teu esforço.
Você não sabe o quão difícil é fingir ser forte, o quão mentirosa estou sendo comigo e com todos a minha volta.
Se soubesse a dor de segurar cada lágrima.
Não pense que é só com você, eu também estou sofrendo.
Ainda tenho que prestar contas comigo mesma, com meu coração, tenho que lhe mostrar o certo, aprender a conviver com a razão. Aprender a nos dizer um 'não'.
É tão dificíl, não é por não te amar, é simplesmente por te amar tanto...
É simplesmente por sofrer tanto por te amar.
Eu preciso de você, e todas as noites que você não dorme, eu derramo minhas lágrimas junto a ti, mas não posso mais..
Amar não é aceitar tudo, pense nisso.
Eu prometo que este amor ainda está aqui, por favor, não me pessa para provar, apenas acredite.
Apenas confie.
Não pesso que me espere, pesso apenas que não me esqueça.
Eu estarei aqui sempre, mas não mais disposta.
Eu prometo te amar, mas não mais te aceitar.
Eu só espero em Deus, espero tua felicidade e que seja somente feita a vontade Dele, por que a nossa já não mais o bastante.
Só te amar não é o bastante.. não pra mim!

25 de nov de 2010

Sinceras desculpas.



Estou super-hiper-mega atrasada, mas precisava dar uma satisfação a todos que acompanham o blog.
Não, o blog não acabou o fato é que nós duas estamos trabalhando feito loucas e sem tempo para terminar as publicações, os rascunhos estão cheios então dentro de alguns dias deixaremos posts programados.
Pedimos desculpa pela demora e por não responder os comentários anteriores e asseguramos que assim que tivermos um espaço na 'agenda' ( super-importantes a gente né? ) voltamos a publicar com frequencia.

Um bom dia e não nos abandone ! (:

10 de nov de 2010

Meu conto de fadas...


Olhos bem abertos, sorriso exposto. Como é bom sonhar. Mas ainda preciso decifrar se este foi um sonho bom ou ruim, ainda não sei.
Foi um sonho, só isso, e foi bom, mas triste ao mesmo tempo!
Sonhei com você, você que entregou teu coração e eu queria que o meu lhe fizesse o mesmo. Coração não quis. Escolheu mal, amou erradamente.
Eu pedia a ele, insistentemente que lhe abraçasse, que abraçasse todo este sentimento que você colocava ao meu dispôr, mas não o fez.
Você me viu chorar por outro, me acolheu e aconselhou, cuidou e protegeu, você me entregou seu coração.
Lembro, aah e como, cabelos castanhas claros, alto o suficiente para me esconder e aquecer em teu abraço, mãos firmes e olhos cor de mel que por vezes eu vi esverdeados. O jeito manso e educado de falar. Os ideias e sonhos, pés nos chãos, tudo vindo de você era tão perfeito, tudo parecia fácil quando você me ajudava.
Me ouviu quando eu por um traste chorava e não hesitava em estar ao meu lado em momento algum, até nos que eu desejei estar só, em silêncio você estava ao meu lado. De corpo e alma se deixou levar por um amor, amor que não era correspondido. Me entregou teu coração enquanto me via recolher ao meu, pouco a pouco.
Pena isso não ser um conto de fadas, por que se fosse, meu final feliz seria mesmo com você.
Mas infelizmente, te deixei partir, tive que escolher, e não podia mais viver magoando e rejeitando teus sentimentos. Era como uma guerra contra mim mesma. Te dizer adeus doeu tanto, um tanto que você não imagina, e eu pedia a mim mesma, insistentemente que fosse atrás, que sentisse tua falta, que o mesmo sentimento desabrochassse, maldito coração não o fez. A saudade machucou mas eu não poderia mais lhe magoar.
Me perdia imaginando como seria tudo perfeito entre nós, o quão mágica e distante da realidade você faria com que tudo parecesse sem ao menos tirar-mos os pés do chão ou da realidade. Da estabilidade emocional que você seria capaz de me proporcionar. Das risadas sem culpa, dos abraços sem pressa, das diferentes surpresas e da forma com que faria que tudo fosse único e perfeito.
Aaahh, eu poderia dormir por um longo dia se pudesse sonhar somente com você. E quem me dera acodar e tê-lo ao meu lado, quem me dera acordar e poder amá-lo.
Eu poderia escrever mil e uma histórias com todas as alegrias que com certeza você me daria, e me libertar de todas as dúvidas e medos que a vida já cansou de me dar. Poderia viver em paz, poderia sorrir mesmo que você não estivesse por perto, por que a felicidade seria viciosa, posso sentir toda a felicidade aqui, como se fosse real, mas sinto a realidade de não lhe amar, a dor de não lhe retribuir, a saudade em lhe ver partir, a angústia ao me segurar para não te procurar, sinto a levesa dos seus traços e sinto a imensão deste mundo que não faz com que nos encontremos. Infelizmente ou felizmente. E sinto pena de mim mesma, por não amar o príncipe encantado.

Nasci em um domingo de primavera ás 21:00 do dia 29 de Setembro de 1991. 1 mês antes do previsto e regida pelo signo de libra.Apaixonada por livros, séries, músicas, flosofia e tecnologia. Espírita Kardecista. Blogueira por amor e futura webmaster por formação. Nasci na selva de pedra mas meu lar é onde os pés encontram o mar e o sol tocar a pele. ♥ (+)