30 de jun de 2010

Sobre o meu amor pelo litoral.

Em 18 anos de vida não encontrei nada que me ajude a limpar a alma como praia.
É um desperdício eu, uma menina tão praieira ocupar espaço nessa grande cidade que é são paulo, entre carros, grandes prédios, poluição e nenhum barulho que não buzinas ou qualquer outra poluição auditiva desnecessária.Deve ser por isso que faço tanta questão de passar férias e feriados no litoral, barulho de mar, areia nos pés, o vento no rosto, caminhar à andar de carro em um trânsito caótico. Mais ainda, deve ser pelo sossego e calmaria que fui capaz de entregar completamente meu coração à um rapaz caiçara - infelizmente com alma paulista - .Ter ele como meu amado era quase como uma garantia de que mais cedo ou mais tarde o litoral seria meu lar, abracei a causa de todo coração e fiz de la meu segundo lar, ou até primeiro.
Morar no litoral faz parte dos meus planos para um futuro próximo desde os meus, sei la, 5 anos de idade. Lá sempre foi meu lugar preferido, quando criança pelo fato de poder passar o dia todo tomando sorvete, fazendo castelos de areia, brincando a beira-mar e depois passar o resto do dia correndo pelas ruas com as minhas 'amiguinhas' de férias. Na minha pré-adolescência por poder passar o dia sentada na calçada jogando conversa fora e passear pelo calçadão durante a noite. Foi nessa época que adquiri meu primeiro assalto, amores de praia que não subiam serra e amigos que eu queria a todo custo trazer na mala junto de mim. No inicio da minha adolescência então, ancorei meu coração na baixada quando conheci um caiçara encantador, a voz dele era quase como o canto de uma sereia que enfeitiça todos que escutam, o bom humor me cativou, desde então meu coração navega por aquelas terras.
Eu poderia generalizar dizendo que minhas melhores lembranças são dos dias em que estou lá, mas ai seria injusto da minha parte, minha vida é em São Paulo, meu melhores amigos são daqui e apesar de grande vontade de me mudar para o litoral, deixa-los aqui seria como deixar um pedaço de mim.
Apesar da certeza de que morar lá é meu maior desejo e meu maior objetivo assim que tiver condições para isso, se a oferta de tal se realizar neste exato momento provavelmente recusaria, correr o risco de cruzar todos os dias com o meu caiçara de bermudas e sem camisa, seria quase como assinar um contrato de sofrimento gratuito. Por isso, espero pela maré baixa, pela calmaria e estabilidade novamente para enfim reforçar todo o desejo de tornar-me uma paulista-caiçara !




4 comentários:

  1. Amo praia também! Sou apaixonada por ver as ondas, mergulhar. Infelizmente, moro também numa cidade que não tem o privilégio de fazer parte do litoral..Mas quando posso, me transporto pra perto do mar - se não em corpo, em mente! Hahaha
    Um beijo, e sigo :)

    ResponderExcluir
  2. Concordo com vc! Praia é tudo de bom, mas eu tbm infelizmente não moro no litoral, mas aqee no sul de minas é pertinho chegar na praia! Muito bom o blog!

    ResponderExcluir
  3. Se eu te contar que eu também tive um amor caiçara você acredita?! (:

    ResponderExcluir
  4. toma jeiito. para de ficar se humilhando , escrevendo textos enormes falando do seu sofrimento e do seu sentimento por ele, quanto mais vc faz isso, mais ele faz palhaçada! ACORDA . segue sua vida que é bem melhor..

    ResponderExcluir

Quem nunca altera a sua opinião é como a água parada e começa a criar répteis no espírito.
( William Blake)


Movimente a sua, faça-nos refletir e reflita sobre o que leva como verdade absoluta.


Nasci em um domingo de primavera ás 21:00 do dia 29 de Setembro de 1991. 1 mês antes do previsto e regida pelo signo de libra.Apaixonada por livros, séries, músicas, flosofia e tecnologia. Espírita Kardecista. Blogueira por amor e futura webmaster por formação. Nasci na selva de pedra mas meu lar é onde os pés encontram o mar e o sol tocar a pele. ♥ (+)