30 de jun de 2010

Sobre o meu amor pelo litoral.

Em 18 anos de vida não encontrei nada que me ajude a limpar a alma como praia.
É um desperdício eu, uma menina tão praieira ocupar espaço nessa grande cidade que é são paulo, entre carros, grandes prédios, poluição e nenhum barulho que não buzinas ou qualquer outra poluição auditiva desnecessária.Deve ser por isso que faço tanta questão de passar férias e feriados no litoral, barulho de mar, areia nos pés, o vento no rosto, caminhar à andar de carro em um trânsito caótico. Mais ainda, deve ser pelo sossego e calmaria que fui capaz de entregar completamente meu coração à um rapaz caiçara - infelizmente com alma paulista - .Ter ele como meu amado era quase como uma garantia de que mais cedo ou mais tarde o litoral seria meu lar, abracei a causa de todo coração e fiz de la meu segundo lar, ou até primeiro.
Morar no litoral faz parte dos meus planos para um futuro próximo desde os meus, sei la, 5 anos de idade. Lá sempre foi meu lugar preferido, quando criança pelo fato de poder passar o dia todo tomando sorvete, fazendo castelos de areia, brincando a beira-mar e depois passar o resto do dia correndo pelas ruas com as minhas 'amiguinhas' de férias. Na minha pré-adolescência por poder passar o dia sentada na calçada jogando conversa fora e passear pelo calçadão durante a noite. Foi nessa época que adquiri meu primeiro assalto, amores de praia que não subiam serra e amigos que eu queria a todo custo trazer na mala junto de mim. No inicio da minha adolescência então, ancorei meu coração na baixada quando conheci um caiçara encantador, a voz dele era quase como o canto de uma sereia que enfeitiça todos que escutam, o bom humor me cativou, desde então meu coração navega por aquelas terras.
Eu poderia generalizar dizendo que minhas melhores lembranças são dos dias em que estou lá, mas ai seria injusto da minha parte, minha vida é em São Paulo, meu melhores amigos são daqui e apesar de grande vontade de me mudar para o litoral, deixa-los aqui seria como deixar um pedaço de mim.
Apesar da certeza de que morar lá é meu maior desejo e meu maior objetivo assim que tiver condições para isso, se a oferta de tal se realizar neste exato momento provavelmente recusaria, correr o risco de cruzar todos os dias com o meu caiçara de bermudas e sem camisa, seria quase como assinar um contrato de sofrimento gratuito. Por isso, espero pela maré baixa, pela calmaria e estabilidade novamente para enfim reforçar todo o desejo de tornar-me uma paulista-caiçara !




29 de jun de 2010

Desejos de aniversário!


É normal ficar se sentindo muito triste e velha no dia do aniversário ou isso só acontece comigo?
Fiquei horas deitada pensando no que eu desejava para mim mais este ano.
Desejei ser mais racional, ser mais consciente e menos paciente.
Mais eclética, mas durona e menos bobinha.
Desejei não abrir mais os olhos.
Desejei não saber perdoar, não amar. Que tal o desamor?
Desejei não esperar por grandes coisas. Desejei que minha viagem de férias fosse hoje.
Desejei não aceitar tudo. Desejei não ter um passado amoroso tão ruim, desejei não ter raiva, ódio, mágoas ou rancor de quem contribuiu para isso.
Desejei não atender o celular quando ele começou a tocar a partir da 00:00 e não parou até as 7:40 da manhã.
Desejei entrar num carro e já saber dirigir perfeitamente.
Desejei ser mais orgulhosa e mais magra.
Desejei não ser tão egoísta.
Desejei levantar e ir trabalhar mesmo sem emprego.
Desejei não festejar este dia. Porém, desejei ganhar muitos presentes.
Desejei não te amar.
Desejei não esperar nada de você.
Desejei não te querer bem nem mal, apenas não te querer.
Desejei que você não existisse.
Desejei saber saber qual é o botão 'delete' da minha vida, para assim, poder te deletar.
E desejei saber qual era a lixeira, pra que eu logo a limpasse.

Desejei que ao menos as pessoas sentissem um pouco do amor que eu carrego aqui dentro, assim veriam o quanto me magoam.
Desejei ter parado com isto tudo desde o começo.
Desejei não me arrepender de ainda estar aqui.
Ai me veio a cabeça sapatos, desejei muitos outros sapatos e ao olhar para o guarda-roupa desejei que ele fosse muito maior e com muitas roupas e marcas.
Desejei que todas os números não existissem, números da faculdade, das contas à pagar, da idade, números de telefone que não saem da memória, dias que não passam com ou sem amor.
Desejei ir para longe e por muito tempo.
Desejei que o presentes e cartas não fossem para o lixo. Desejei não desconfiar, não sentir, não perder.
Desejei não existir.
E por fim, desejei abrir os olhos e se visse algum destes desejos realizados, não me arepender.
Parabéns a todos os aniversariantes do mês!

28 de jun de 2010

O enterro da ex-namorada boazinha.


Exaustão amorosa, não sei se esse termo existe, nunca ouvi ele em lugar algum, mas mesmo que não exista tenho certeza de que é exatamente isso que sinto no momento.
Se quiserem posso definir exatamente o que a tal ' exaustão' causa: dores de cabeça constante, palpitação acelerada, preguiça de novos relacionamentos, desilusão para novos amores e assim por diante.
Ontem no auge de minha exaustão, cansada de lutar ou implorar pelo amor de um homem que talvez nem saiba mas o que é amar, minha mãe trouxe até mim sem que eu pedisse ou falasse algo, uma xícara de chocolate quente, naquele momento aquilo foi a maior demonstração de amor que senti nos últimos 6 meses.
Coloquei em duvida então a minha maneira de amar, não estaria eu dando importância demais a um amor carnal e esquecendo do amor sublime que deveria dedicar à minha mãe? Mas logo em seguida deixei de me questionar em relação à coisas das quais não consigo ter poder absoluto, apesar de desejar de corpo e alma esquecer aquele que por tanto tempo me deu amor e hoje jogou tudo ao vento.
É mais do que óbvio para mim que homens e mulheres amam de maneira completamente distintas, não posso e nem quero julgar tais maneiras, mas as vezes tenho a impressão de que é tão injusto.
Sei que se conselho fosse bom as pessoas os venderiam, mas darei um mesmo assim : Quando um relacionamento acaba, coloquem na cabeça de que acabou mesmo, esteja preparada para o pior assim se um belo dia a pessoa resolver acordar será melhor um surpresa boa à ter cultivado meses de esperança e o trem não sair do lugar. Se acabou suma, é a melhor maneira de se recuperar e/ou fazer a outra pessoas sentir sua falta, sou fraca confesso que fiz tudo completamente ao contrário, mas como na teoria as coisas ficam mais simples de ser efetivadas deixo aqui o meu imenso desejo em me tornar alguém que tem a capacidade de fazer tudo o que listei a cima.
Pessoas, sentimentos, são coisas tão complexas, tão difíceis de definir e mais complicado entender, as vezes cansa. Cansa ser sempre a santinha, a ex boazinha que está ali para tudo, cansa ser a amiguinha de sempre, cansa ver seu coração ser esmagado milhões de vezes e ainda sim alguém insistir em dizer que te ama, possivelmente ame mesmo mas não o suficiente para encarar novamente um relacionamento. Se bem, que complicado mesmo não é reatar com alguém que você já conhece tão bem, difícil é começar tudo de novo, conhecer, ficar, enrolar, conhecer defeitos, admirar qualidades, novas pessoas, nova família, novos amigos, nova maneira de fazer amor, de dormir, o primeiro xixi de porta aberta, o primeiro banho, primeira noite. Mas quer saber? É disso que os homens gostam, é por isso que eles mesmo amando uma pessoa saem à procura de novos corpos, conhecer alguém intimamente perde completamente a magia, você fica sabendo exatamente o que acontecerá se acaso iniciar-se uma briga, sabe tudo o que vai ouvir se mentir, sumir ou esquecer de alguma data comemorativa.Mas mulheres são assim e um dia o corpo novo de hoje vai se tornar alguém que você conhece intimamente e ai, perde a graça e o ciclo inicia-se novamente.
Observando por este lado fica a impressão de que homens - e mulher também por quê não? - nunca serão capazes de firmar um compromisso, casar então fora dos planos totalmente.
Mas ainda sim, prefiro dar um voto de confiança a aqueles que ainda não passaram pela minha vida e a aqueles que estão por vir, um dia quem sabe eu encontre algum homem capaz de enxergar o quanto um programinha à dois é tão interessante quanto uma cervejada com os amigos que daqui alguns dias encontraram uma namorada e largaram ele na vida mediócre de ' eu sou de ninguém, eu sou de todo mundo' .
Enquanto isso, resta-me ser ' de ninguém e ser de todo mundo' também, afinal mulheres lutaram tanto por direitos iguais. E a época de amélia já passou a muito tempo.
Descanse em paz amélia que em mim habitava.

27 de jun de 2010

Primeiro Minuto

Se eu escrevesse aqui apenas o meu signo vocês diriam que sabem exatamente que tipo de pessoa sou e que não precisaria escrever mais nada. Confusa demais para quem quér respostas. Complicada demais para quem procura ações. Do signo de Câncer, em mim, os tais que guiam isso capricharam! Na verdade exageraram. Drama demais, ciúmes demais, confusa demais, ousada demais, indecisa demais, e por aí vai, mas se tudo isso fosse apenas uma única 'Vanessa' estava bom, mas são várias, as personalidades mudam com o decorrer do dia. Sou a famoa Complicada e Perfeitinha, mas que mulher não é?
Ainda guardo meus sonhos de menina. Mas não sou mais a menina. Que pena, descobri que o mundo não era exatamente como eu queria que fosse, mas o que aconteceu com os sonhos? Eu os tenho guardados, em busca sempre!
Já também não sinto mais vergonha de expôr meus sentimentos e mostrar minhas tantas fases. De tanto me decepcionar com desabafos para outros resolvi que a única forma de desabafar era escrevendo, assim, ninguém, necessariamente, teria que ler e julgar. Espero que acompanhem e gostem da minha forma um pouco cômica de me expressar. Vou me empenhar muito em qualquer que seja o tema. Apreciem queridos!

Vanessa Ribeiro.

Devidas Apresentações

Gosto de explodir em palavras. Talvez essa seja a melhor definição para alguém que sente todos os dias a necessidade de colocar em linhas de maneira complexa todos os sentimentos que é capaz de sentir.
Apesar da alta exposição não me importo se você vai conhecer de alguma maneira toda a minha complexidade, meus medos, meus pontos fracos, meus amores, desamores, amigos, familiares e até sentir-se intimo disso tudo.
Você pode até, identificar-se entre virgular, reticências e pontos finais, mas isso tudo será sempre uma parte de mim que ninguém é capaz de ter igual.É como uma peça de quebra-cabeça único que não se encaixa em mais ninguém.
Não me importo se resolver colocar algo que gostou em algum canto dessa vasta internet, mas peço com toda a educação que me foi dada : Dê créditos, plágio é crime e você com certeza não vai querer carregar isso nas costas.
Não, antes que você pergunte eu não sou escritora de nada e nem tenho a pretensão de ser chamada assim, coloco apenas com clareza o que sinto no momento e espero que todos entendam que isso pode variar de um dia para o outro, não sou um poço de tristeza, mas também não sou 100% alegre. Não gosto de pessoas efusivas e não pretendo ser uma, não gosto de pessoas hipócritas e nem pretendo colocar aqui opinião sobre algo da qual eu pratico.
Hoje uso este espaço apenas para uma pequena apresentação,espero que agrade.

Até mais tarde :)

Nasci em um domingo de primavera ás 21:00 do dia 29 de Setembro de 1991. 1 mês antes do previsto e regida pelo signo de libra.Apaixonada por livros, séries, músicas, flosofia e tecnologia. Espírita Kardecista. Blogueira por amor e futura webmaster por formação. Nasci na selva de pedra mas meu lar é onde os pés encontram o mar e o sol tocar a pele. ♥ (+)