2 de jan de 2016

Venha conhecer: Fala Viel

É com grande pesar que venho me despedir do 1 minuto de atenção. Depois de longos anos produzindo textos despretensiosos, decidi que gostaria de investir para fazer o blog virar profissão.
O 1minuto nasceu em um momento muito difícil da minha vida, em parceria com uma ex-amiga, para servir como válvula de escape nos momentos em que precisávamos desabafar.

Durante os anos em que mantivemos o blog ativo, atingimos grandes números e uma grande quantidade de seguidores que lamentaram muito quando perceberam que o blog foi sendo abandonado ao longo dos dias. Naquela época não sabiamos administrar tudo isso e perdemos grandes chances. Infelizmente,

Agora, alguns anos mais tarde voltei ao mundo dos blogs e venho fazer um convite: venha conhecer o Fala, Viel . É um blog de variedades, seguindo o mesmo esquema aqui do 1 minuto mantendo o tratamento pessoal e textos que falam de coração para coração 


31 de dez de 2013

O ano virou.

Meu ano foi inteiro uma sexta feira treze. Zica, pior que passar em baixo da escada, como diz o poeta das ruas Rashid em sua musica.
Eu, espirita Kardecista e simpatizante da Umbanda ( me julguem ) que sou, acredito muito nessas previsões que fazem todo começo de ano. E como foi alertado antes mesmo de 2012 virar 13 o ano seria HARD, e foi !
O ano tinha tudo para começar bem. Virei o ano entre aquelas amigas que a gente jura que é pra sempre, sabe? Muito brinde, muito abraço, muitas promessas. Tudo lindo, só que não.
Maio, o mês mais esperado da vida por vir acompanhado das férias atrasadas do trabalho, estressante, cansativo e sem reconhecimento profissional, veio para desandar de vez o ano. As férias foram dentro de casa, sem dinheiro e o relacionamento de longos 6 anos, desandou ! Que maravilha, que mês ótimo. Mas é claro, que quando as coisas estão ruins elas sempre podem piorar. Junho se arrastou regado a desilusão amorosa e muita lagrima.
E então inicia-se o mês mais infeliz de toda a minha vida, explico: Julho trouxe junto dele uma mala recheada de decepção, tristeza e perdas significativas. Meu avô, um senhor de 83 anos cheio de problemas de saúde mas sempre muito ativo adoeceu seriamente. Por quase um mês ficou internado, com problemas respiratórios, deixou de andar, falar e se alimentar. Depois de muito sofrimento, tanto dele quanto da família, o plano superior achou melhor leva-lo. Sofri. Comemoramos o aniversário dele com ele na U.T.I e tive o pior dia dos avós da minha vida.
Como acredito que Deus nunca manda a cruz mais pesada do que podemos aguentar, foi nesta época também que meus olhos se abriram para as amizades que carregava nesta vida. Foi em julho também que uma pessoa especial firmou-se na minha vida, me deu força e animo para seguir. Uma relação infelizmente conturbada por "N" motivos do passado, muitas pessoas se opuseram, apontaram o dedo e viraram as costas, faz parte, todo mundo sempre aponta o dedo para o erro dos outros e senta em cima do seu rabo.
 No meio de todo turbilhão de problemas familiares, encontrei um espaço para procurar uma daquelas amigas que citei lá em cima. E a ouvi, com todo coração, deixei que ela desabafasse todos seus problemas e reafirmei o contrato de amizade: "Pode contar comigo, viu ? Me procura." Que boba eu fui. No meio de todas as perdas e dores da minha vida, ela foi a primeira a correr. Eu sempre soube o quanto ela era egoísta e individualista, mas é que no fundo eu tinha aquela esperança de que por 10 anos eu não estava tão enganada quanto a amizade que escolhi. E eu estava.
Julho também reaproximou pessoas que eu julguei e me afastei por muito tempo. Claro que eu agradeço a Deus por este mês conturbado. Coisas ruins também servem para abrir os olhos para as coisas boas.
Agosto, não precisa de descrições, não é atoa que carrega a fama de cachorro louco.
E então inicia-se o mês do inferno astral, aquele mês que tudo da errado, que tudo vira de ponta cabeça. O mês desandou mais um relacionamento que não chegou nem a começar, quando tudo parecia caminhar, todo mundo ficou contra uma historia que nem teve chance de acontecer. Hoje continuamos amigos, aprendi muito com ele e ele comigo.
Em outubro passei pela situação mais constrangedora da minha carreira profissional, acusada de ter um caso com o meu chefe e de ser a pessoa mais odiada da empresa, passei 4 longos dias chorando e me questionando até que ponto valeria jogar para o alto a promoção que tinha acabado de receber por pessoas que não me ajudaram em nada. Permaneci no meu cargo porém agindo com todos de maneira totalmente diferente.
Nos últimos dois meses as coisas correram com mais tranquilidade. Aquele relacionamento desandado tem uma promessa de entrar nos eixos em 2014, um amor que não apaga, não aqueta. Muita coisa já passou, outras tantas pessoas também. É uma promessa, um destino.

Agora é fechar os olhos, ouvir os fogos de artifícios e desejas de peito aberto que o próximo ano carregue pra longe toda a zica deste 2013 !

30 de set de 2012

Fecha os olhos e faz um pedido.


(...) Rá-tim-bum Thamires, Thamires, Thamires.. (...)

Pronto, mais um ano de vida completo, mais um parabéns cantado e agora a pior parte: assoprar a vela e fazer um pedido. Que saco de tradição. Que saco essa historia de aniversário.
− Tanta coisa pra pedir: Um emprego que pague mais e tenha expectativa de crescimento, conseguir ter dinheiro suficiente para bancar a mensalidade da faculdade, as contas da casa, os gastos diários, os de emergência e o lazer sem ter que ficar apertando aqui e acolá. Que as amizades verdadeiras se aproximem cada dia mais e o que for falso se afaste. Um dia a dia menos estressante e mais prazeroso. Mas não, com um pouquinho a mais de esforço essas coisas eu conquisto.
O que ta difícil mesmo é esbarrar em alguém no meio da multidão e que mude a minha vida. Ta difícil encontrar uma companhia pro cinema, pra festa na casa da minha avó, para o almoço de domingo, para dedicar musicas, frases curtas, textos longos e um livro inteiro, alguém que queira dividir os problemas do dia a dia, os amigos no final de semana, as recordações em fotografias, os presentes fora de data. Difícil está de encontrar alguém que queira companhia para coisas banais como essas, que se importe quando eu disser que acordei azeda, que tenha vontade de largar tudo no meio de uma segunda-feira para passar um hora comigo num almoço comum no pior dia da semana, alguém para determinar datas, metas, sonhos, planos e futuro. Ta difícil encontrar alguém que dê valor num bilhete encontrado no meio da carteira com um: Eu te amo =), que sinta saudades antes mesmo de se despedir, que entenda que um sms no começo do dia é simplesmente uma maneira de dizer que estava pensando nela assim que acordei. Alguém que entenda as crises de ciumes e as evite, que sinta medo em me magoar e me afastar, que preserve o que eu sinto por ela e retribua. Quero alguém para cultivar bons sentimentos, bons momentos, boas lembranças. Tanta gente no mundo e ninguém é capaz de esbarrar em mim, meio sem querer querendo ? Tanta gente por ai e não tem um ser que pare para prestar atenção no meu coração? No meu olhar meio marrudo mas ao mesmo tempo marejado daquela aguinha salgada que sai dos olhos ? Tanta gente e ninguém percebe que meu coração pede abrigo e companhia. Ele não quer uma metade porque já é inteiro, quer alguém que venha somar e multiplicar. Eu só queria alguém que entendesse antes que eu abrisse a boca para explicar, alguém que quisesse tanto quanto eu estar junto, que saiba que quando sou irônica é porque no fundo estou magoada, que quando me mantenho em silêncio alguma coisa está me incomodando muito e que quando os olhos são mantidos baixos é porque quero evitar assuntos que já machucaram. Alguém para me tirar sorrisos e me abraçar no meio de uma noite fria, não é pedir demais, não pode ser.
Agora vai, assopra, assopra antes que o pavio da vela acabe, antes que a unica chance de pedidos que você tem se acabe. ) - Assoprei -
Assoprei e não pedi nada, mantive a cabeça vazia, sem pedido nenhum, sem querer algum. Porque alguém assim deve vir por livre e espontânea vontade, por uma acaso. É como dizem: Quando alguma coisa tem que dar certo até os ventos sopram a favor. E vamos combinar que os ventos que me rodeiam ultimamente não estão soprando nem a favor da vela pra se manter apagada, o jeito é deixar o pavio queimar até o fim ou jogar aguá. Vai saber, mais um ano completo e nenhum pedido feito. Até o ano que vem.


30 de abr de 2012

Das minhas saudades e vontades...



Antes de nos abraçarmos pra dormir, minha vontade era perguntar o que você sentia e te contar o quanto era bom ter a melhor metade de mim ali, me abraçando e desejando boa noite novamente, ao invés disso, te dei um beijo e me virei pra sentir seus braços envolta da minha cintura e desejar que aquela noite não acabasse nunca mais. Ao acordar, eu quis pular em você, te encher de beijos e te impedir de me abandonar naquela cama grande numa manhã tão fria, não fiz, te deixei ir embora e me despedi sem dizer nada.
No almoço decidi que teríamos uma conversa só para deixar claro se eu estaria desperdiçando tempo em me envolver com você de novo, eu ia propor que nos afastássemos pelo tempo em que você achasse necessário para colocar a vida em ordem e sentir a sensação de liberdade que eu sei bem o quanto você preza, não deu tempo.  
Minha vontade era entrar em um ônibus sábado as sete horas da noite e ir ao seu encontro, aparecer na sua porta, linda, cansada e disposta a fazer o que você quisesse. Minha vontade era vir embora no finalzinho do domingo ouvindo você dizer que não via a hora do próximo final de semana chegar para me encontrar de novo. Não deu tempo.
Antes que todas as frases fossem completas, antes que todas as atitudes fossem tomadas e antes de qualquer conversa... Mais uma vez, você me expulsou da sua vida. E digo expulsou porque não me deu escolha, não explicou nada e muito menos fez questão de me encontrar para que essa decisão fosse tomada. Tanto faz, vai por mensagem mesmo né? Ia correr o riscos de me ver chorando de soluçar novamente? Pra que né? Melhor não arriscar para não mudar de ideia. É uma pena que você não tenha me escutado, que não tenha tido vontade para dar mais uma chance de verdade para nós, que não quis desfrutar da minha atenção e do amor que eu carrego por você há tanto tempo. Mais uma vez, você abre mão de tudo, abre mão da minha companhia, dos meus carinhos - que não são poucos e você bem sabe -, dos meus beijos e das noites deliciosas de quarto escuro e chuva na janela. Abriu mão também de conhecer meu lado moleca, do meu lado companheira e bagunceira, porque apesar dos longos anos de historia há muito coisa em mim que você nunca conheceu, não sei se por minha ou sua culpa, ou por culpa da época em que nos encontramos, vai saber?
Você nem me deu chance de lhe contar sobre as minhas saudades: Do nosso primeiro beijo as três da manhã numa calçada qualquer, a maneira fácil como a minha família quis te acolher dentro de casa mesmo quando não tínhamos certeza de que aquilo viraria um namoro, dos nossos feriados, dos seus olhos brilhando ao me reencontrar, dos seus beijos calorosos de saudade e seu abraço apertadinho de despedida, da sua paciência em enxugar minhas lágrimas a cada tchau e boa vontade em dizer que passaria rápido e que logo logo estaríamos juntinhos de novo, das cartas de duas, três, quatro folhas que eu escrevia para você ir embora lendo, dos seus depoimentos em época de orkut nos dias oito de todos os meses, de passear no calçadão, de escapar com a desculpa de que iriamos tomar sorvete só para poder ficar junto uns minutinhos,  dos filmes que até hoje não sabemos o começo, nem o meio e muito menos o final, de passar horas conversando sobre qualquer coisa, de te fazer cócegas, provocar nos momentos mais impróprios, de te ver deitando ao meu lado de manhãzinha quando dormir junto era proibido, de te cobrir antes de dormir, de te esperar chegar, de contar os minutos para pegar a estrada, das férias longas na sua cidade e te esperar o dia todo porque você trabalhava enquanto eu tomava sol, de tomar sol ao seu lado, do seu pedido timido de namoro e seus eu te amo baixinho depois de fazer amor. Eu tenho saudade de você, mas não esse que você se tornou desde janeiro de dois mil e dez mas o você que me conquistou e fez com que eu nem pensassem em distancia simplesmente por achar que com você valeria a pena. Um você que desde que entrou na minha vida eu nunca desejei que saísse e as vezes em que saiu foi por escolha própria. É uma saudade sem tradução, atravessa o emocional e tem dia em que doe fisicamente.
Mas dessa vez será diferente porque não haverá soluços, nem pedidos desesperados para seu retorno. Vou respeitar seu silêncio e seu afastamento, deixarei que parta porque é isso que as pessoas que amam fazem, deixam livre, deixam viver. Desejo o bem, a felicidade e o seu sorriso que será sempre o meu preferido estampado no rosto, se não sou eu, que seja outra ou outras. Tomara que nunca doa em você, que nunca tenha arrependimento e que se bater saudade você saiba como me reencontrar. Apesar de não saber mais como é a vida sem você por perto, eu reaprendo, ergo a cabeça e deixo de chorar.
Jamais amigos, jamais desconhecidos. Vai com Deus, mantenha a fé, o foco de vida e me orgulhe cumprindo todos os sonhos e objetivos que compartilhou comigo, vou te aplaudir de longe, em pensamento e com o coração em festa. Voa passarinho, voa.

10 de fev de 2012

Minuto do leitor: Um Dia Serão Apenas Cicatrizes...

Difícil mesmo falar de um sentimento que ainda vive em mim, um amor que talvez não tenha ido embora ainda, é como mexer em uma ferida em aberto que a qualquer momento pode sangrar, porque ainda dói, não sei como falar de nós se é que existe nos dois, pois é uma historia que envolve tantos sentimentos, tantas idas e vindas, mas infelizmente essa é uma historia que só vive em mim, na minha cabeça, porque pra você já passou, você já escreveu uma nova historia com um novo alguém, já eu to aqui ainda tentando escrever uma nova historia na qual o personagem principal não seja mais você, tentando ainda superar todas as magoas, e frustrações que um dia você me causou, me pergunto todos os dias como um relacionamento tão curto pode causar em mim esse reboliço todo, todo esse impacto, mais de tudo que você me fez, não posso deixar de lembrar as coisas que aprendi contigo, do quanto eu sou forte, do quanto eu sou persistente, sim eu sou forte, porque depois de tantas coisas que vi, ouvi, li, continuo aqui em pé, me demonstrando feliz, mesmo quando meu coração só chora, descobri em mim uma pessoa capaz de tantas coisas, capaz até de continuar te amando depois de todo esse tempo, depois de tantos acontecimentos, me lembro como ontem, das coisas que você me dizia, e me apego nessas lembranças para amenizar nem que seja um terço dessa saudade toda acumulada dentro de mim. Espero um dia poder olhar você com ela e não sentir nada espero realmente não sentir absolutamente nada por você, nem amor, nem ódio, nem magoa, espero me lembrar de você como quem se lembra de um colega do jardim de infância, aqueles que agente nunca vê, e que quando vê, lembramos que existe, que um dia conhecemos, mas que já não importa mais, espero um dia poder amar alguém, como amei e amo você, mais espero também que seja um amor correspondido, um amor recíproco, aqueles que todo amor que se da , se recebe, olha logo eu aqui uma pessoa com tantas marcas, falando de amor, isso prova a você mais uma vez o quanto eu sou forte porque mesmo depois, de tudo continuo esperançosa, esperando da vida um novo amor, uma nova historia, continuo com a esperança de olhar para traz ,e ter a certeza de que tudo que eu podia fazer por nós eu fiz, eu te amei, amei sim e pronto, aceitando todos seus defeitos , todas suas manias, espero também olhar para tudo o que passou de tudo que aconteceu e lembrar daquela ferida que um dia tanto sangrou e que um dia será apenas uma cicatriz, uma cicatriz que um dia foi um ferida , que um dia sangrou, mais que cicatrizou que eu olho e toco, que eu me lembro , mais que eu já não sinto, já não dói.

Por: Rebeca Almeida

Nasci em um domingo de primavera ás 21:00 do dia 29 de Setembro de 1991. 1 mês antes do previsto e regida pelo signo de libra.Apaixonada por livros, séries, músicas, flosofia e tecnologia. Espírita Kardecista. Blogueira por amor e futura webmaster por formação. Nasci na selva de pedra mas meu lar é onde os pés encontram o mar e o sol tocar a pele. ♥ (+)